Como funciona o visto para o Japão


Como funciona o visto para o Japão


Como funciona o visto Japão


É preciso dar entrada no visto ao Japão três meses antes da sua viagem para a terra do sol nascente


Compre sua passagem, escolha um bom hotel, não esqueça do Seguro Viagem e aventure-se no Japão! Um país moderno, chamativo e seguro. É assim que o Japão está sendo lembrado pelos turistas interessados em fazer uma visita à terra do sol nascente. No entanto, o país tem muito mais do que isso, com uma vasta natureza, boas opções de compra e muitas tradições a serem conhecidas, tudo isso para quem possuir um visto.


O visto de turista é chamado de visto de curta permanência pelo consulado. Com ele, você pode visitar o país a passeio, para uma reunião de negócios ou evento, para encontrar a família e para fazer conexão com outros voos.


Se você já passou pela experiência de obter o visto americano, avisamos desde já que os processos são bem diferentes, mas o visto Japão-Brasil também é cheio de burocracia, como mostramos no passo a passo a seguir:


Passo 1: Comprovar a renda


É essencial que você tenha uma forma de comprovar sua renda, o que frequentemente é feito usando o Imposto de Renda. Não existe exigência mínima, mas ela deve ser compatível com os custos da viagem. Também é recomendado ter uma quantia razoável de dinheiro na sua conta. Se você é autônomo, é preciso encontrar uma forma de comprovar a sua renda, então, pense nisso com antecedência. Caso a viagem seja paga por amigos ou familiares que estão no Japão, será preciso apresentar uma carta de garantia (modelo no site da embaixada), comprovante de renda e atestado de pagamento de impostos e comprovante de residência. Se a viagem for financiada pela empresa com sede no Japão, também será necessário de uma carta de garantia, registro da empresa e atestado de emprego.


Passo 2: Ter o passaporte com chip


Uma das exigências para conseguir o visto Japão-Brasil é o uso do passaporte eletrônico (MRP) comum ou com chip (IC chip), emitido de acordo com as especificações da ICAO. No Brasil, esse modelo é oferecido desde 2010. Como a validade do documento é de dez anos, existem chances de você ainda não possuir essa versão, que é o de capa azul. Se você possui o de capa verde, faça a renovação com antecedência, pois você precisará apresentar o documento correto na embaixada. Lembre-se que o passaporte deve valer por pelo menos mais seis meses!


Passo 3: Comprar as passagens


Isso mesmo! Ao contrário do visto americano, para o qual a compra de passagens antes de ter a entrada garantida não é vista com bons olhos, para ter direito a uma viagem ao Japão, a apresentação dos tickets aéreos é obrigatória. O período máximo de permanência no país para turistas é de 90 dias, então fique atento às suas datas de entrada e saída. Como o seu visto corre o risco de não ser aprovado, recomendamos que você verifique as condições para a troca ou devolução de passagem aérea.


Passo 4: Preencher o formulário de solicitação de visto


Procure no site da embaixada que você pretende comparecer o formulário de solicitação. Ele possui poucas páginas e pode ser preenchido no computador ou a mão, com letra de forma. Nesse documento, você precisará fornecer dados concretos sobre a sua viagem, então, é importante já ter um cronograma (modelo disponível no site da embaixada), com as cidades que você pretende visitar e os endereços dos locais em que gostaria de se hospedar. Também é necessário incluir uma foto 3 x 4 recente (mas não datada). Não esqueça de assinar e preencher a data.


Passo 5: Reunir os documentos


Junte todos os documentos que você precisa apresentar e leve documentos a mais por segurança. Os obrigatórios são: passaporte válido e anteriores com visto (se possuir), formulário preenchido, foto 3 x 4, passagem ou reserva, cronograma da viagem preenchido e comprovante de renda. No caso de viagem paga por terceiros, leve os demais documentos requisitados. Se você estiver inseguro com a obtenção do visto, tudo bem levar documentos adicionais, como extrato bancário, carteira de trabalho, comprovante estudantil, contrato de aluguel e o que mais você achar que pode ajudar na hora.


Passo 6: Ir até o consulado


Existem vários consulados gerais japoneses no Brasil, e cada um atende a uma determinada região. Confira onde você deve se dirigir, pois isso pode representar uma pequena viagem, dependendo da distância da sua cidade. Compareça ao local com três meses de antecedência da sua viagem, pois esse é o prazo que você terá entre a emissão e a entrada no país. Não é preciso marcar horário, apenas aguardar a sua vez de comparecer ao guichê e apresentar os documentos, mas em períodos próximos de feriados, o número de pessoas costuma aumentar. Você pode solicitar o visto para apenas uma entrada no país ou para múltiplas entradas, mas lembre-se que a validade máxima é de apenas três anos, com permanência de 15, 30 ou 90 dias, dependendo do seu caso. Ao final do processo, você receberá um ticket para a retirada do passaporte, pois ele ficará retido.


Passo 7: Retirada e pagamento


A resposta para o visto Japão-Brasil sai em apenas dois dias. É preciso retornar ao local ou solicitar a um parente de primeiro grau a retirada do documento com a apresentação do ticket. Nesse momento, é feito o pagamento da taxa em dinheiro, que é de R$ 79 para uma entrada e R$ 158 para múltiplas entradas

21 a 69 anos
-21 anos
+70 anos